Translate

Translate

segunda-feira, 15 de julho de 2013

O ORGULHO

O orgulho é cego. Exige o irreal, o falso, o absurdo, tudo o que está além da sua capacidade real.
O orgulho imagina. Ele não é você.
O orgulho é um estado de consciência onde as ilusões dominam. Obscurecem os sentidos.
Toma espaço que era da Alma, de Deus, de SI mesmo. 
E ele exige. E você obedece. Caso contrário, ele o (a) culpa. 
Oprime você no peito.
Pune. E você aceita. Deixa.
Ele nada é sem sua crença. É você quem o nutre.
O orgulho sempre usa o verbo dever no condicional: deveria.

O CANSAÇO É O PREÇO DO ORGULHO
O EXCESSO É O PREÇO DA VAIDADE
O ÓDIO, O PAI DA RUÍNA
ACONTECE EM CADA ESQUINA.

A CRIANÇA MIMADA NÃO ACEITA OS PAIS.
OS PAIS CRIANÇAS DISPUTAM COM OS FILHOS.
A BRIGA LOUCA PELO PODER DOMINA
ACONTECE EM CADA ESQUINA

A MULHER EM BUSCA DO COMODISMO CHOROSO
O HOMEM EM BUSCA DO PODER OCIOSO
O JOVEM EM BUSCA DO NADA SE FASCINA
ACONTECE EM CADA ESQUINA

E, POR ENTRE OUTROS QUARTEIRÕES DA VIDA,
SE BUSCA E SE ACHA O QUE FOR
QUEM VIVE DE ESQUINA EM ESQUINA
AINDA NÃO CONHECE O AMOR.

Trecho do livro ATITUDE, Luiz Antônio Gasparetto, Ed. Vida e Consciência.