Translate

Translate

sábado, 13 de julho de 2013

COMO ASSASSINAR UMA CONSULTA COM O TARÔ - BARALHO CIGANO.

COMO ASSASSINAR UMA CONSULTA COM O TARÔ - BARALHO CIGANO.

- Não fale nada sobre sua experiência com o tarô, sua jornada. O consulente que se vire para procurar referências.
- Escolha um ambiente mal organizado e barulhento.
- Permita interrupções durante a consulta.
- Misticismo a parte, não observe se o cliente é alérgico a incensos ou aromas.
- Não ofereça condições confortáveis para você e o consulente.
- Ao escolher o método apropriado, abra todas as cartas de uma vez. Assim o consulente poderá se deparar com o Arcano da Morte, Julgamento ou Diabo e ficará imensamente feliz e otimista.
- Repita sempre as mesmas palavras chaves para cada carta.
- Não analise a correlação e interação dos arcanos entre si.
- Ao observar uma tiragem supostamente ‘negativa’ faça caras e bocas que dê a entender que o consulente estará em enrascadas.
- Seja dramático ao falar sobre situações que exigirão empenho, esforço e otimismo do consulente.
- Interrompa o consulente dando a entender que você já entendeu o que ele pretendia saber/perguntar. Você tem o raciocínio rápido. Pra que perder tempo?
- Atenda o celular e dê minutos bônus no final da consulta. Você é uma pessoa justa!
- Não anote as jogadas, o nome do cliente, as interpretações. Quando ele (a) te procurar novamente você não tem memória de elefante. Não é obrigado a conhecer a vida de cada e os motivos que o levaram a primeira consulta. Hoje em dia a palavra de ordem é praticidade. Tempo é dinheiro.
- Ao ver situações de traições, ciladas e ‘puxadas’ de tapete, seja tendencioso e ajude o consulente a “sentar a lenha” no (a) sem caráter.
- Estimule o vitimismo. Ofereça uma oração para os pobres, oprimidos e incapazes no final da consulta.

Carinah Ruiz
Taróloga e Cartomante