Translate

Translate

sábado, 13 de julho de 2013

Eu, meu maior inimigo?

Você já se perguntou ou até mesmo se culpou por não conseguir mudar um padrão autodestrutivo? Compulsão alimentar, dependência química, compulsão por compras (bastou sobrar uma reserva no banco que sua mente fica trabalhando as possibilidades de como e com que gastá-la). Alguns projetam suas necessidades em relacionamentos/ relações múltiplas. Nenhum relacionamento cria raízes sólidas baseados em confiança, cumplicidade e reciprocidade. Apaixonar-se vira vício. Compulsão sexual. Todo tipo de prazer imediato, mesmo efêmero, é bem vindo.
É notório que a busca pelo bem estar, pela felicidade, plenitude é objeto de busca incessante por nós meros mortais. Este arcano auxiliar mostra-nos a necessidade de ir mais fundo em nossas emoções, em nossos bloqueios. Um comportamento autodestrutivo vai contra a vida, a saúde psíquica, emocional e então, por que insistimos nestes padrões?
É preciso parar. Olhar para trás (infância) e para dentro. Chega de culpar o outro por nossos fracassos e infortúnios. Todo vício, excesso seja ele qual for vai nos levar ao desequilíbrio. E substituir os hábitos criados não trará resultados eficazes: cura permanente do corpo físico, mental, emocional e espiritual.
É óbvio o que se deve cortar ou alterar em nossas vidas. Todos sabemos onde precisamos melhorar, radicalizar, mudar, transformar. A expressão ditatorial “ VOCÊ TEM QUE”, não resolverá. Se assim fosse todos estaríamos curados de nossas enfermidades e desajustes. Pelo contrário, trará a sensação de culpa e impotência por tentar, fracassar, tentar e assim por diante. Ninguém evolui efetivamente na base do “tem que”, por imposição. É necessário o contato com a ferida, a contemplação da dor, o reconhecimento de que não é mais necessário se autopunir. Consciência e compreensão para a autotransformação.
Procrastinação, por que você me persegue? Ou sou eu quem te persigo? Não dá para adiar a cura, seja ela qual for, devemos incessantemente buscá-la. As respostas surgirão quando o primeiro passo for dado: eu quero o meu melhor. Eu mereço e assim será.
Florais de Bach atuam de maneira eficaz, assim como exercícios bioenergéticos, Reiki, Cristais, Meditação. Contato com a natureza, pés na terra, silenciar para ouvir a própria voz.
Despertar o amor próprio é o melhor presente que você pode se dar nesta jornada terrena.